Booking Through Thursday – Ideal

btt2Quero que penses na tua experiência de leitura ideal. Pensa no local. Estás na tua cama, na tua cadeira preferida, na praia, dentro ou fora de casa? Agora pensa nos sons. Estás a ouvir música, tens crianças a brincar como barulho de fundo ou estás no profundo silêncio? Estás sozinho/a ou com amigos/família (presumindo que estão calados para te deixar ler em paz)? Que tipo de iluminação tens? Vestiste algo confortável? Em que posição estás, escolhido/a ou esticado/a?

Agora descreve tudo para que toda a gente sinta o quão perfeita é e porquê.

O meu ponto habitual de leitura é a minha rica caminha. Visto o pijama, instalo-me debaixo das mantas, ligo os dois focos das estantes (sim, eu durmo na companhia dos meu livros. Estão bem por cima da cama.), ligo o MP3, escolho a banda sonora para o momento e fico a ler até me dar o sono.

Quando estava na Universidade, o meu ponto preferido de leitura eram os Jardins do Palácio de Cristal, no Porto. Escolhia um banco de jardim com vista para o Douro e para a Ponte da Arrábida, colocava os óculos de sol, MP3 nas faixas de música Jazz e ali ficava eu, a ler como se não houvesse tempo nem amanhã.

6 pensamentos sobre “Booking Through Thursday – Ideal

    • Já tentei isolar-me no silêncio durante a leitura mas não resultou. Se estou sozinha começo a ficar sonolenta e a “encalhar” na mesma frase. Preciso de algo que me afaste do mundo real e me leve para um micro-mundo só meu, com palavras e sons musicais.
      Obrigada pela visita e boas leituras 🙂

  1. Boa tarde, Isabel.
    Para um tripeiro “de raça”, como eu, a viver em Oeiras, ler o seu segundo parágrafo na apresentação deste tema, fez-me recuar… mais ou menos muitos anos…
    Pois é, Isabel, também eu, quando atravessava a adolescência, procurei, para ler, os bancos traseiros do Palácio de Cristal, com vista para o Douro e ponte da Arrábida, a diferença está no facto de não existir MP3 nesse tempo.
    Nos meus momentos de leitura, que são muitos, prefiro um espaço de temperatura agradável e iluminada, onde possa estar bem sentado, ou deitado, com o silêncio que baste para poder entender o que me transmite o escritor e, se possível, dialogar com os personagens. Ouvir sons musicados, em simultâneo, perturba-me, embora Haendel, Beethoven, Brahms ou Mahler tenham criado peças repousantes e é mesmo essa música que ouço em exclusividade. Mas as pessoas são todas diferentes e ainda bem, trocam experiências e denunciam particularidades, a vida é um caminho de partilha.
    Os meus cumprimentos

    • Os Jardins do Palácio de Cristal tem maravilhosos encantos, disso não há dúvida meu caro Armando.
      Tive pena que a Feira do Livro tivesse abandonado aquele espaço…

      Obrigada pela visita e boas leituras!

  2. A minha pena é que tivessem abandonado a Feira do Livro. Mas há forças retrógadas que entendem não ser muito útil a leitura.
    Cumprimentos

    • Ainda estou para entender de quem é a maior força de má vontade nessa história da FLP deste ano. A CMP fincou o pé no argumento que não tinham dinheiro. A APEL por sua vez entrou no extremismo de “ou é no Porto ou não é em lado nenhum”. E quem pagam são os leitores que para aproveitarem descontos têm que se deslocar às suas congéneres de Braga ou da Póvoa de Varzim, onde a oferta não é tão diversificada.
      Obrigada por partilhar os seus pontos de vista!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s