Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban

Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban

Em Privet Drive, a relação entre Harry Potter e os tios continua fria como sempre e o facto de a tia Marge ter acabado insuflada depois de um jantar em casa dos Dursleys não ajudou em nada. O terceiro ano em Hogwarts do nosso jovem feiticeiro é marcado pela presença dos Dementors, criaturas terríveis e deprimentes que sugam toda a alegria em seu redor. Essas criaturas abriram caça a Sirius Black, um perigoso criminoso que fugiu de Azkaban, a cadeia para feiticeiros que eles guardam. Conhecido por ser apoiante de Voldemort, depressa se cerram fileiras em torno de Harry para o manter protegido. Mas mais uma vez as aparências iludem e as aventuras e perigos espreitam a cada canto.

Olhando para os primeiros 3 livros da saga, percebe-se uma tendência forte de por parte de J.K. Rowling de fazer aquilo que se poderá chamar “revisão da matéria dada”, revendo todas as informações que lhe parecem mais relevantes. Outro dos pontos curiosos é o facto de todos os livros começarem a acção propriamente dita no aniversário de Harry. Neste livro em particular, o ponto mais engraçado é o facto de Harry ficar sempre a saber aspectos cruciais sobre o seu passado de forma indirecta e sempre “por linhas travessas”. A narrativa continua a ter bastante acção e já só há torrente de informação no que diz respeito a elementos novos, como a descrição da vila de Hogsmeade. As personagens começam a ganhar alguns traços de personalidade, adquirindo algumas atitudes que revelam que se aproximam da adolescência. Infelizmente, os problemas a nível de dualidade de critérios de tradução mantém-se. Uma obra destas deveria ter o seu próprio glossário terminológico de apoio à tradução de modo a evitar tantas mudanças. Concluindo, continua a ser uma saga agradável de se seguir e que se espera que se mantenha sempre neste ritmo.

Classificação: 3/5

– Os Dementors são das criaturas mais imundas que pisaram a terra. Infestam a escuridão, sujam os lugares, rejubilam perante a decadência e o desespero, sugam a paz, a esperança e a felicidade do ar que os envolve. Até os Muggles sentem a sua presença embora não consigam vê-los. Se te aproximares demasiado de um Dementor os teus bons sentimentos, as tuas recordações felizes ser-te-ão arrancadas. Se puder, o Dementor ficará junto de ti o tempo suficiente para te transformar em algo parecido com ele, uma mistura de egoísmo e maldade. Ficarás reduzido às piores experiências da tua vida.

Opinião re-escrita a 31-Jul-3013

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s