Antologia Poetica

Florbela Espanca nasceu a 8 de Dezembro de 1894 na cidade de Vila Viçosa. Desde muito cedo mostrou gosto pela leitura e pela escrita de versos. Em 1919 publica a sua primeira colectânea de poemas chamado “Livro das Mágoas”, ao qual se segue o “Livro da Soror Saudade” em 1923. Morre em Dezembro de 1930. No ano seguinte são publicados “Charneca em Flor”, 28 sonetos de “Reliquae” e ainda um livro de contos intitulado “As Máscaras do Destino”. A organização desta antologia esteve a cabo de Fernando Pinto do Amaral e reúne os poemas mais significativos de cada um dos livros publicados da poetisa.
Classificação: 4/5

Desejos vãos
Eu queria ser o Mar de altivo porte
Que ri e canta, a vastidão imensa!
Eu queria ser a Pedra que não pensa,
A pedra do caminho, rude e forte!Eu queria ser o sol, a luz intensa
O bem do que é humilde e não tem sorte!
Eu queria ser a árvore tosca e densa
Que ri do mundo vão e até da morte!

Mas o mar também chora de tristeza…
As árvores também, como quem reza,
Abrem, aos céus, os braços, como um crente!

E o sol altivo e forte, ao fim de um dia,
Tem lágrimas de sangue na agonia!
E as pedras… essas… pisa-as toda a gente!…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s