Rafael

Nos tempos do Salazarismo, Rafael é, como muitos outros, um opositor ao regime com simpatia pelos ideais comunistas. Combate na Guerra do Ultramar, é preso pela PIDE em Luanda e quando regressa a Portugal, parte para o exílio. Passa por Espanha, por Paris, Genebra e Lausane, refugiando-se até em Argel. Em todos esses locais, Rafael e os outros restantes exilados preparam e planeiam aquela que seria a revolução que iria derrubar Salazar e o seu regime repressor. Quando regressam a Portugal, vivem-se as primeiras horas da Revolução dos Cravos.
Classificação:4/5

E longamente olharás o firmamento, deitado, à noite, nas dunas, perto de El Oued.
– Dá que pensar, dizes.
– Dá, murmura o racionalista Jorge Fontes.
E então ficarás como suspenso, por invisível mão amparado.
– As estrelas estão a dançar, diz Jorge Fontes.
– Você está a ouvir a música?
– Estou.
– E de onde, de quem?
– São os orgãos do mundo tocados pelos dedos de ninguém.
E sentirás o sopro, o bafo quente da grande boca.

Um pensamento sobre “Rafael

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s